Viajar por conta própria

Se você quer viajar por conta própria, reflita sobre o perfil abaixo:

a) não gostar de ficar pres@ aos horários e programações dos pacotes  oferecidos pelas agências de viagem.

b) ser independente, organizad@, saber solucionar problemas, ter iniciativa, ousadia, segurança e confiança em si mesm@.

c) gostar de ler e pesquisar sobre locais e atrações na internet

d) ter o hábito de compra pela internet

Se você se encaixa ao perfil descrito, siga em frente. Esqueça os pacotes de viagem,  viaje por conta própria e divirta-se muito mais.

Minha experiência em planejar as minhas viagens e de alguns amigos: 

Há muitos anos planejo minhas viagens e também de alguns amigos. Aliás, cá entre nós, o planejar e tão empolgante e divertido como a própria viagem. Abaixo eu descrevi alguns passos, que acredito, possam te ajudar.

A primeira coisa que faço antes de começar meu planejamento é responder  a  3 perguntas: Quando viajarei? Quanto tempo? Para onde? São essas 3 perguntas que definem praticamente todo o planejamento da viagem.

A partir das respostas, lá vou eu para uma fase muito gostosa: pesquisar e programar

Programo primeiro as  passagens, depois as hospedagens, a seguir os  passeios, traslados e por fim preparar as malas.

Lógico que para preparar as malas eu verifico qual será a previsão do tempo durante meu período de viagem.

Aqui vai um segredo meu, a partir da compra das passagens,  baixo no meu celular a previsão do tempo da cidade que visitarei e diariamente, até meu embarque  vejo a previsão.

Parece loucura, mas juro, que para mim,  dá mais ânimo; parece que a viagem fica mais próxima, ou seja  crio expectativa. Como diz minha irmã : “Cenourinha na frente do cavalo”

Mas chega de mimimi e vamos ao que interessa. Planejar a viagem

Viajar por conta própria exige alguns cuidados. A seguir detalho alguns pontos que merecem atenção.

a) compra de passagens. Se você puder viajar fora das férias escolares e/ou ter disponibilidade para o meio da semana, as passagens aéreas e terrestres são mais baratas

b) hospedagem – procure hospedagens próximas as atrações turísticas, bares e restaurantes. Mesmo que a hospedagem seja mais cara, você economiza no tempo e no gasto com transporte para visitar esses locais.

c) roteiro – procure visitar poucas cidades e conhecer mais de cada uma delas.

As vezes temos a tendência de conhecer muitas cidades:  é o famoso “já que” . “Ja que estou aqui, vou dar uma esticadinha”. Isso ocorre,  principalmente, ,  se a viagem for para a  Europa, onde países e cidades importantes ficam muito próximas.

Minha sugestão: Esquece a idéia de muitas cidades, muitos países numa só viagem.

Na grande maioria das vezes você ficará andando de ônibus, trem, ou carro, durante muito tempo e curtindo a cidade(s)  muito pouco.

É muito comum, as pessoas, somente, passarem pela cidade(s) e nem terem tempo de conhecerem seus atrativos.

Pesquise as cidade(s) , os principais pontos turísticos, escolha o que realmente te atrai. Lembrando que você não conhecerá tudo sobre qualquer local  na primeira vez, o que é  bom, pois sempre fica a vontade de voltar.

d) city tour – eu particularmente gosto de fazer o city tour, para ter idéia da cidade, do seu tamanho e dos pontos turísticos.

Dependendo da quantidade de pontos turísticos, do meu interesse por eles e do tamanho da cidade, eu compro o city tour de 2 dias, pois sai mais barato ir aos pontos turísticos de ônibus do city tour do que de taxi.

e) tickets dos passeios – museus, palácios reais, igrejas e outras atrações, muitas vezes você só consegue visitar se comprar o ingresso, e alguns deles devem ser comprados com antecedência como é o caso de Allambra em Granada, ou mesmo do museu de Leonardo Da Vinci em Milão.

Portanto, verifique se os locais que você deseja conhecer precisam de ingresso e se o mesmo precisa  ser comprado com antecedência e se a compra pode ser efetuada pela internet.

Sugestão se puder ser feita pela internet,  compre com antecedência, aqui no Brasil  e vá com ele na sua bagagem.

Lembrando que em algumas cidades você pode comprar o citypass, e  dependendo do seu roteiro pode ser uma grande vantagem.

viajando-por-conta-propria-alimentação

alimentação saudável

 

e) alimentação – se você não for aventureiro como eu, que gosta de experimentar as comidas locais e mesmo comidas de rua, sugiro que não arrisque na alimentação, pois um piriri pode “micar”o seu passeio. Fique no tradicional e conhecido.

f) gorjetas – prepare seu coração e o bolso, pois na Europa, Estados Unidos, América Latina, México, as gorjetas variam entre 10 e 20%.

Em Cancun chega ser intimidante e irritante os pedidos de gorjeta. Nova York é outro lugar onde a gorjeta se faz mais do que presente.

Minha sugestão é que antes de viajar você procure pesquisar e saber sobre os costumes locais com relação as gorjetas.

g) traslados –  os traslados podem ser feitos de diversas maneiras:

  • Vans – muitos aeroportos tem serviço de Van para os hotéis. Esse serviço  é muito mais barato do que um taxi, no entanto você ficará rodando durante um bom tempo até chegar ao seu destino.
  • Metros e trens – Algumas cidades da Europa e Estados Unidos tem metro, ou mesmo trem, que fazem a conexão entre o aeroporto e o centro da cidade, o preço é muito mais acessível que van ou taxi e dependendo de onde é sua hospedagem é uma ótima opção
  • Taxis – Com relação aos taxis, eu costumo, principalmente quando vou pela primeira vez, pegar os “taxis oficiais”, aqueles que são pagos com cartão de crédito no guichê da companhia e eles dão um voucher, me sinto mais segura, principalmente na América Latina e México.
viajando-por-conta-própria-bagagem

bagagem na volta

h) bagagemroupas – esse item merece um capítulo a parte, mas serei breve.

Procure levar pouca roupa, somente aquelas que você realmente irá usar, não queira levar uma quantidade enorme para  ter opção de escolha. Lembre-se menos e mais e que hoje as bagagens estão limitadas em 23kg.

Uma outra dica é verificar qual o dress code da região visitada, para preparar a sua bagagem, principalmente se você pretende ir a um restaurante badalado, a um show, teatro, ópera, ou qualquer outro espetáculo. Isso faz com que você leve o que é realmente necessário em termos de roupa e acessórios.

i) bagagemremédios – Esse é um item importante, pois remédios, fora do Brasil, e mesmo em algumas cidades brasileiras,  não são vendidos sem prescrição médica.

No caso você ter esquecido de algum remédio, para adquiri-lo terá que passar por um médico e a consulta geralmente não é barata.

Leve consigo os remédios de uso diário na própria bolsa de mão, e os de gripe, febre, enjoo e outros na bagagem.

Detalhe nos Estados Unidos os remédios de gripe, febre, enjoo, são vendidos nas pharmacy, sem problemas.

j) bagagem – compras – Cuidado com o excesso de peso, não se empolgue nas lembrancinhas e nos itens de decoração.

Muitos dos itens de decoração são lindos no contexto da viagem, mas quando você chega em casa ele não combina com o seu estilo de vida ou moradia.

Lembre-se que dependendo do seu exagero, você terá de pagar excesso de bagagem, que é bem salgado.

j) documentação –  Certifique-se da documentação necessária para embarque: identidade, passaporte, seguro viagem, cartão de crédito, carteira de motorista, carteira internacional de motorista e CARTEIRA INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO.

Por conta da Febre Amarela a grande maioria dos países está exigindo, dos brasileiros, a Carteira Internacional de Vacinação. Fique atendo e se não tiver a carteira, providencie logo.

Agora que você já tem algumas sugestões, espero que se anime a viajar por conta própria.

Divirta-se e boa viagem