Olá

Este post é um pouco diferente dos outros que estou acostumada a escrever. Nele eu relato minha experiência em Cancun. Conto um pouco de uma Cancun que não te contam.

 

Minha experiência de 5 dias em Cancun – o que não te contam

 

Eu decidi viajar sozinha para Cancun, justamente para ter contato com a natureza, relaxar e recarregar minhas baterias, no entanto tenho de confessar: em muitos momentos fiquei estressada. Tive a nítida sensação de estar sendo enganada o tempo todo.

Fiz a viagem pela Copa Airlines, voo que parte de Guarulhos as 2,30 am, com conexão no Panamá. O serviço da Copa deixou um pouco a desejar.

Fiquei surpresa por eles não fornecerem travesseiros, até por que a viagem para a Cidade do Panamá dura 6,45 horas.  Resumo da ópera, se eu não tivesse levado o meu suporte para cabeça, seria uma viagem no mínimo desconfortável. mas no demais foi tudo ok: voo tranquilo, comida razoável, sem problemas com bagagem e ou horário.

Cabe aqui uma informação, a classe business da Copa, não é igual a da Latan, Airfrance, Lufthansa.  Na realidade ela é comparávell a econômica premium dessas companhias: 2 assentos por fileira, mais largos, com apoio para os pés e pouca inclinação. Portanto, minha sugestão, não gaste dinheiro com algo que é pouco confortável.

A chegada em Cancun também foi tranquila. O transfer para o hotel  pode ser feito em Vans, ou taxis. As vans custam em torno de $12 dólares por pessoa e  o taxi  custa $35 dólares, com impostos, que eles não te avisam, sai em torno de  $38,50.

Escolhi o serviço de taxi e optei por pagar em dólares por que a conversão de pesos para dólares era desfavorável. Aliás isso acontece o tempo todo, procure pagar sempre em pesos a não ser os locais em que eles escrevem o valor do peso em relação ao dólar.

 

 O que não te contam:  

 

1- Os restaurantes erram na conta sempre em favor deles e não te devolvem o troco

Fiquei hospedada no Aloft Cancun, na zona hoteleira – Praia do Caracol . Região muito boa, com bares, restaurantes, supermercado.  Perto das “baladas” (para quem gosta) Coco Bongo, Señor Frog’s, em frente ao “embarcadero caracol” de onde partem os ferries para Isla Mujeres e da base do super parque Xcaret.

Eu escolhi ficar em um hotel e não num ressort, por que  queria fazer os passeios pela região: Visitar Chichen-Itza, Parque Xcaret, Isla Mujeres, então não era interessante um ressort, mas me arrependo muito, pois ninguém te conta que os restaurantes de Cancun erram no preço, sempre a favor deles, e que também não te devolvem o troco, quando você paga em dinheiro. 

Minha experiência com o serviço de restaurantes em Cancun foi muito desagradável, não pela comida, mas pelo atendimento. Acreditem se quiserem todos os restaurantes, EXCETO o restaurante do SUPERMERCADO SELECTO CHEDRAUI,  erraram na conta e quando paguei em dinheiro não devolveram o troco, mesmo eu tendo dado gorjeta.

 

2- Excursão para Chichen-Itza – O que não tem contam

a) você precisa levar repelente em Cancun temos: dengue, xicungunha e zica

Eu comprei pela Viator, operadora internacional,  uma excursão para Chichen-Itza, no entanto você pode comprar por qualquer companhia, que todas são feitas pela mesma operadora em Cancun. Eles são pontuais e como estava hospedada na zona hoteleira, uma van veio buscar-me e levou-me até a base.

Na base, as pessoas foram separadas por idiomas:  um ônibus para quem faria excursão com um guia em inglês, e outro para quem faria em espanhol. Como estava com sono escolhi fazer em espanhol. Que escolha mais errada!!!

O guia falava o tempo todo, dramatizava e tentava vender alguma coisa: água, refrigerante, cerveja, repelente. Sim repelente, pois em um determinado momento da viagem, ele nos perguntou se havíamos levado repelente, pois na região havia casos de Dengue, Xicungunha e Zica. Lógico que a grande maioria não tinha levado, até por que muitos, como eu, não tinham conhecimento do fato.

No entanto,  ele gentilmente (rss)  nos ofereceu um repelente ecológico e biodegradável por $140 pesos, nos quais dei $150 pesos e não recebi o troco de volta.

 

b) benção do Xamã cobrada em dólares

Ao nos aproximarmos da Aldeia Maia, onde é servido um almoço, o guia perguntou-nos se queríamos uma benção do Xamã, pois ele estava vendo o Xamã pela janela do ônibus,  e esse poderia dar uma benção especial para os passageiros. Como a maioria era latina, a resposta foi SIM.

Na hora da benção, o Xamã, olha para uma passageira e diz que ela tem muitos problemas, que precisa de proteção, porém  ao acabar a benção ele, num gesto magnânimo,   poderá  atende-la. Caos total, a passageira ficou “branca”, começou a tremer e lógico que foi conversar com o Xamã após a benção. Isso custou-lhe alguns dólares.

Na cooperativa, alguns passageiros compraram algumas esculturas dos Deuses Maias. O guia da excursão orientou-os no sentido do Xamã energiza-las. Claro que havia uma taxa para energização, porém, nesse momento alguns  passageiros, que haviam comprado as esculturas, declinaram da benção.

 

c) Cooperativa de artesanato da Aldeia Maia – preços 5 vezes maior do que os praticados em outros locais

Antes de entrar no restaurante para um almoço baseado na culinária Maia, fizemos um tour pela loja da cooperativa de artesanato da Aldeia Maia, Os produtos são os mesmos que os vendidos na cidade a única diferença é o preço, quase 5 vezes mais.

 

d) almoço na Aldeia Maia

No pacote vendido para Chichen- Itza, o almoço na Aldeia Maia estava incluso.  Ao entrar no restaurante, um integrante da cooperativa maia, parou cada um dos participantes do grupo para uma foto.

Questionado por uma passageira, que não queria tirar a foto, ele disse ser, a foto ,obrigatória, pois serviria de identificação para entrada no restaurante. Sendo assim a passageira consentiu, bem como os demais. No entanto era tudo mentira, essa foto seria usada mais tarde para a venda de um licor.

O  almoço estava delicioso, e  como disse, fazia parte do pacote,  exceto as bebidas que foram pagas a parte, em efetivo. Lógico que erraram na conta e não devolveram o troco.

 

e) licor Maia, vendido na volta, dentro do ônibus por $23 dólares a garrafa de 350ml com sua foto 

Após o almoço, seguimos para as pirâmides de Chichen- Itza. Realmente lindas.  Impressionam pela arquitetura, cultura, história, paisagem. Imperdível.

Depois das pirâmides, fomos nadar em um cenote, que também fazia parte do pacote.

A sensação, pelo menos para mim, foi de magia. Não tenho palavras para descrever a beleza do lugar, a energia existente. Impressiona.

Cansados de tantas atividades, retornamos para Cancun. A viagem dura em torno de 2 horas, que Graças a Deus, aconteceu em silêncio. Mas ao nos aproximarmos da cidade, o guia e seu auxiliar, um representante do povo Maia, gentilmente ofereceram um licor feito pelos Maias. Licor esse que pode ser usado de afrodisíaco a  vitamina para o cabelo. Segundo eles o licor tem uma receita secreta cujo alguns ingredientes são: aguardente, mel e aniz.

Todos provamos e fizemos um brinde. Nesse momento  vem a pérola do dia, Sabe aquela fotografia tirada no restaurante, e que o fotógrafo falou que era para identificação, pois bem, tudo mentira, a foto serviu de rótulo para uma garrafa de licor de 350 ml, cujo o preço era de $ 23 dólares.  Fiz uma conta básica e com cenário desfavorável, eles arrecadam por mês, com a venda do licor, em torno de $ 13.000 dólares.

 

3- Isla Mujeres – Embarcadero Playa Caracol – O que não te contam

a) Embarcadero Playa Caracol, vende os tickets dos ferries, mas não é possível embarcar – Leia o que acontece.

Um dos lugares mais falados de Cancun e que na minha opinião não é tudo isso,  é Isla Mujeres. O translado é feito através de ferries que saem de: Playa Caracol, Playa Tortugas, Playa Linda . Como eu estava na Playa do Caracol e era só atravessar a rua para comprar o ticket, decidi partir do embarcadero Playa Caracol

Era manhã do meu terceiro dia em Cancun  atravessei a rua e comprei o ticket para o horário das 10,30am. Cabe aqui salientar eu e mais umas 30 pessoas.

O valor do ticket é de $19 dólares, mas eles te cobram $22,50, dizem que é para impostos, o que parece não ser verdade, pois no embarcadero Playa Linda, algumas pessoas pagaram o preço original.Esse valor é pago em dinheiro pois eles não aceitam cartão de crédito ou débito.

 

b) transfer para outro embarcadero em ônibus de linha 

Por volta das 10,15am, um encarregado informou-nos  que as saídas pela playa Carocol estavam canceladas, mas que eles iriam providenciar nosso transfer para playa Tortugas.

Qual não foi nossa surpresa, quando eles pararam um ônibus de linha, sim, esses que circulam normalmente pela cidade, e nos colocaram dentro, pedindo ao motorista que nos deixasse na playa Tortugas.

Na hora de descer na playa Tortugas, um funcionário da empresa Ultramar, que opera os ferries, não nos permitiu descer e pediu que o motorista nos deixasse na playa Linda.

Lá fomos nós para playa Linda. Chegando lá, outro funcionário da empresa Ultramar nos informou que o ferry só partiria as 11,45, ou seja, tivemos que esperar por uma hora.

Confusão total, o povo discutindo com os atendentes, queriam o dinheiro de volta, eles diziam que não tinham dinheiro. Foi estressante, mas o estresse não termina aí, o pior estava por vir.

 

c) Ferry sem manutenção – pegou fogo e não tinha colete salva-vidas

Depois de esperarmos por 1 hora, tomamos o ferry com destino a Isla Mujeres, a viagem leva de 35 a 45 minutos.

No meio do caminho, começa a pegar fogo no painel de comunicação da embarcação. Motores são desligados, todo mundo em pânico, exceto os passageiros que estavam no deck.

Ao olhar em volta, para verificar se tinham coletes salva vidas, no caso da situação não ser controlada, vem a grande surpresa NÃO TINHA COLETES SALVA VIDAS.

A sorte foi que arrancaram a parte que estava pegando fogo, controlaram a situação, ligaram novamente os motores e continuamos a viagem.  Ufa…., mais um sufoco em Cancun.

 

4- Xcaret – O que não te contam

Xcaret é o lugar mais lindo que eu já vi na minha vida. Memorável, imperdível.

Com relação aos meus passeios em Cancun esse foi mais mais tranquilo,  só teve um senão: o preço real do passeio e o que eles querem cobrar

Cuidado com as vendas que acontecem nas agências perto aos hotéis:

 

1- O preço da excursão pela internet é de $ 129 dólares, no entanto as agências que ficam perto dos hotéis  tentam te cobrar $ 159 dólares. Se você diz que não vai comprar com eles  e sim pela internet, a situação muda, cobram o valor real $129 dólares.

2- Você não paga o ticket na agência que vende a excursão,  pois eles não tem como passar o seu cartão,  então pedem para você pagar um valor de reserva, no meu caso foi $20 dólares e te dão um recibo.

3- No dia da excursão você vai a base Xcaret, no meu caso tinha uma em frente ao meu hotel, e completa o pagamento. Ai vem a “sacanagem”, na base eles querem te cobrar os $159 dólares. De novo você tem de impor seus direitos, depois disso te cobram o valor de $129 dólares, mas com uma condição:  você terá de pagar 4% de taxa do cartão. Mais um perrengue. De novo você discute e consegue finalmente pagar os $129 dólares.

Sugestão: compre pela internet.

 

A volta: 

Depois de todos esses aborrecimentos, a viagem de volta foi tranquila. Que bom que estou em São Paulo, onde eu conheço, de sobra, a cultura do levar vantagem, e, cá entre nós é muito mais branda que a de Cancun.

Mas apesar de tudo Cancun é muito linda:  o mar é azul e quente, ou seja delicioso,   e as paisagens são de tirar o fôlego.